No mês de abril, realizam-se inúmeras corridas com distâncias compreendidas a partir dos 5 km até maratonas, passando pelas mais habituais de 10 e 20 km) e, com o treinamento e a disciplina adequada, ainda estamos a tempo de atualizar os tênis e as calças de esporte e nos preparar para estrear em uma delas. Em seguida, algumas dicas básicas para iniciar-se no apaixonante mundo do atletismo popular.

1. Tome a decisão de correr.

Seja qual for a sua forma física, este é um bom momento para começar a se exercitar. É mais do que provável que o primeiro dia se sentir cansadíssimo, volte para casa sem resultado e que dentro de poucas horas as temidas dores musculares façam ato de presença. Não se preocupe, é a coisa mais normal: é a forma que tem o corpo de lembrar-se que está um pouco enferrujado. O único método para convencer os músculos que deixem de doer é não desanimar e ter disciplina e constância. Ao segundo dia já vai doer um pouco menos. Em troca, rapidamente vai sentir o que é conhecido como a “curtição do corredor”: as endorfinas são liberados e se sente uma irresistível sensação de bem-estar.

2. Equipamento básico.

O mais importante para correr de forma saudável é ter um bom par de tênis com bom amortecimento. Não há necessidade de gastar muito no último par de uma marca de moda, mas sim é necessário que o calçado seja especializado para o tipo de solo que se vai correr (asfalto, areia ou pista) e que esteja adaptado ao tipo de pisada do corredor (pronador, supinador ou neutro). O melhor é aproximar-se a uma loja especializada, fazer um teste de pisada e escutar dicas. Por outro lado, evite peças de material sintético, leves e que não utilizem. Se vai correr pela noite, ficar com alguma peça de roupa refletora é uma boa ideia.

3. Combater o frio.

No inverno, tem que se abrigar do frio, mas sem ultrapassar. Levar muitas roupas pode acabar sendo chato. A sensação ideal é sentir um pouco de freso ao começar a correr. Em apenas cinco minutos seja obrigado a tirar. Atenção especial para a garganta e as mãos, que são duas áreas que sofrem com as baixas temperaturas. É claro que, ao terminar é vital tirar as peças de roupa molhada de suor.

4.Alongamentos.

É imprescindível fazer uma boa sessão de alongamento antes e depois do exercício. Estes devem ser sempre macios (se machucou o músculo é que estão fazendo errado), sustentados -embora não mais de 30 segundos – e fugindo do tradicional salto contra o chão ou a parede. A intensidade deve ser superior ao terminar. Uma boa maneira de liberar os músculos é realizar uma breve corrida de cinco minutos e parar para esticar antes de continuar com a corrida. Na Internet é fácil encontrar várias tabelas de alongamentos.

5. Alimentação.

Uma dieta saudável é o complemento perfeito do corredor para perder peso. De fato, há muitos pilotos que se frustram, porque eles começam a correr e não chega no emagrecimento. Qual o motivo? Podem ser vários, o mais um comum: ao começar a fazer o exercício, se sente “liberado” e acaba comendo mais (e pior). Quanto às saídas para correr convém fazê-las, pelo menos, duas horas depois de comer para evitar, na medida do possível mal-estar gástrico.

6. Aplicativos móveis.

Uma boa maneira de verificar os progressos que se têm feito é utilizar algumas das aplicações móveis (Runstar, Runkeeper, Nike …) que medem a distância percorrida, o tempo realizado e o ritmo por quilômetro.

7. Melhorar as marcas.

Como diria Mourinho, a chave está em sair da “zona de conforto”. Embora seja verdade que os corredores novatos melhoram muito rapidamente, também é fácil de entrar em planaltos do desempenho difícil de superar. Uma maneira de evitá-las é variar o treinamento: realizar corridas mais curtas e mais rápidas, treinar por séries (cinco turnos de 1.000 metros, em vez de uma 5.000, por exemplo), fazer corridas progressivas, começando tranquilo e aumentando o ritmo a cada quilômetro…

8. Corra com música.

É uma ótima maneira de motivar-se. Qual música usar? Aqui já entram os gostos particulares de cada um, mas, em geral, ajudam as músicas mais rápidas do que as lentas e artistas que aproveite antes que raridades desconhecidas. Olho, também é bom de vez em quando ouvir o som do corpo: a respiração, a intensidade do passo contra o solo, etc. Além, a medida de segurança óbvia: ouvir o que acontece ao redor evita choques, atropelos e não danificar o ouvido.